quinta-feira, 2 de janeiro de 2020

Fechamento 2019

E acaba 2019, mais um ano que passou voando.

2019 foi sensacional para os investidores, pois praticamente tudo subiu, o que consequentemente deixou muitos eufóricos. Todo mundo querendo investir na bolsa. A B3 com recorde de investidores (apesar de ainda ser menos de 1% da população brasileira). Vários "gurus" surgindo... 

Ser investidor em 2019 foi fácil, vamos ver quando surgir um Bear Market. 

Como tudo subiu, minha carteira em 2019 também cresceu bastante. 


Vamos a alguns números:

Taxa de Poupança em 2019: 53,4% (pretendia ter poupado 60%);
Total aportado em 2019: R$ 51.925,78 (contando aportes do salário, reinvestimento de proventos e de lucro de vendas);
Valorização da Carteira de FIIs em dezembro/2019: 9,76%;
Valorização da Carteira de FIIs no ano de 2019: 16,14%;
Valorização da Carteira de Ações em dezembro/2019: 13,31%;
Valorização da Carteira de Ações no ano de 2019: 41,92%;
Valorização de toda a Carteira em dezembro/2019: 9,92%;
Valorização de toda a Carteira no ano de 2019: 25,83%.


Encerrei 2019 com a seguinte distribuição de ativos:



2019 foi um ano em que meus proventos mais do que dobraram. Eu tinha uma meta de receber  R$ 5 mil no ano. Meta essa que foi superada com folga. 

Para 2020 minha meta será receber R$ 10 mil.








Por fim, uma novidade que usarei a partir de agora será o meu Medidor FIRE, inspirado no post OS PRINCIPAIS MARCOS NA SUA CAMINHADA À INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA do grande Aposente aos 40. Minha meta será atingir 300x o valor médio do que considero atualmente o ideal para eu viver com meu padrão de vida atual (esse valor poderá ser corrigido futuramente). 

No momento estou 14,3% FIRE.




Por hoje é só. Um ótimo 2020 a todos.

domingo, 8 de dezembro de 2019

Fechamento Novembro/2019

Chegamos ao penúltimo mês de 2019. Mais uma vez o ano passou voando.

Em novembro aportei R$ 4.807.76 e fiz mais trocas de ações por FII. A distribuição de ativos ficou assim:



Eu que já tive 72,9% em ações no início de 2019, consegui reduzir para 51,3%.



Em relação aos proventos, em novembro bati novamente meu recorde

Proventos do mês

Ações: R$ 1.131,12
FII: R$ 278,08
Total de Novembro/2019: R$ 1.409,20

Janeiro a Novembro/2018: R$ 2.674,37
Janeiro a Novembro/2019:R$ 6.468,09(+141,9%)
Total de 2018: R$ 3.118,25



Muito bom ver as barras subindo ao longo do tempo. Que continue assim em 2020


Por hoje é isso. Até a próxima.

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Fechamento Outubro/2019

Faala galera,
tudo bem com vocês?

Chegamos a mais um fechamento.
Como podem ver, não coloco mais meu patrimônio. Eu retirei também todo o meu patrimônio dos posts anteriores. O que colocarei em relação a valores serão apenas os aportes e proventos recebidos.
Optei por isso por questão de segurança, afinal, sabemos como é esse nosso Brasil nesse quesito.

Aporte do mês: R$ 3.329,00
Somando o aporte com a valorização do mercado, meu portfólio subiu em outubro 1,43%.


Outubro foi um mês de realocações na minha carteira.
Vendi 3 ações que já não estavam pagando dividendos como eu esperava. Me desfiz de ECOR3, GRND3 e CIEL3. As duas primeiras com lucro, já Cielo com um baita prejuízo, mas na soma de tudo ainda tive um lucro de 13%.

Com essa grana comprei um lote de TAEE11, ITSA4 e muitos FIIs. 



Dei uma reduzida bacana na concentração em ações e aumentei minha participação em FIIS. Os proventos mensais de FIIs agora irão se aproximar dos R$ 300 mensais.


Falando em proventos, outubro foi bem razoável.

Proventos do mês

Ações: R$ 104,52
FII: R$ 224,41
Total de Outubro/2019: R$ 328,93

Janeiro a Outubro/2018: R$ 1.925,21
Janeiro a Outubro/2019:R$ 5.058,89 (+162,8%)
Total de 2018: R$ 3.118,25




Em outubro bati oficialmente a meta de receber R$ 5.000 em proventos em 2019. Para novembro já tem anunciado pouco mais de R$ 600 e nessas duas próximas semanas teremos os resultados do 3T.
Agora tenho a esperança de passar dos 7k até dezembro.


Por hoje é só.
Até a próxima.




sábado, 19 de outubro de 2019

Meu salário dobrou e meus gastos triplicaram. Para onde está indo meu dinheiro?

Olá galera da FIREsfera, tudo bem com vocês?

Enfim fazendo um post que não seja de fechamento mensal. Falarei sobre como aumentei meu custo de vida após meu salário dobrar quando entrei no meu atual emprego e o que pretendo fazer para reduzi-lo.

Desde dezembro/2016 eu registro num app de celular tudo de receita e despesa que realizo, mas nunca parei para avaliá-los.

Houve períodos anteriores em que eu já fazia esses registros, mas após um problema no celular que tinha na época, havia parado.

Acontece que recentemente encontrei uma planilha com as minhas receitas e despesas de todo o ano de 2015, que eu passava do app que usava (ele não salvava os dados na nuvem) para meu computador. Fui comparar com os gastos atuais e chega a ser assustador como, conforme minha renda aumentou, as minhas despesas aumentaram muito mais.

Em 2015 eu recebia um salário X e naquele ano eu gastei um total de R$ 16.570 (1380 ao mês). Houve apenas um mês de 2015 em que eu gastei mais de 2000 reais, e ainda assim foi 2.042 reais. Nos outros 11 meses meus gastos variaram de 829 a 1783.

No final de 2016 entrei no órgão o qual trabalho até hoje e de cara o meu salário dobrou.

De dezembro/2016 até setembro/2019 se passaram 34 meses e em apenas 6 deles eu gastei menos de TRÊS MIL reais. Meu gasto médio mensal está sendo 3.911 reais, ou seja, enquanto meu salário dobrou, as minhas despesas praticamente TRIPLICARAM.

Mas por que meus gastos aumentaram tanto?  Bem, registrar as despesas serve justamente para que a gente possa analisar para onde está indo nosso dinheiro. Então vamos ver o que aconteceu.

Analisando meus relatórios de despesas, pude ver que na categoria de alimentação as despesas aumentaram de 350 para mais de 750 reais ao mês. Isso se deve ao fato de que naquela época eu cozinhava em casa, enquanto agora me alimento mais em restaurantes. Na época que eu ganhava menos eu tinha um certo bloqueio de ir a restaurantes, o que deixou de existir quando passei a ganhar mais. Ao ver esse aumento, que corresponde a 4.800 reais a mais por ano em relação a 2015, percebo que devo deixar a preguiça de lado, voltar a cozinhar em casa, pelo menos de vez em quando, para tentar reduzir ao menos em 1/3 esses meus gastos atuais.

Na categoria lazer o meu gasto mensal foi inferior a 200 reais em 2015. Agora ele está acima de 700. Um aumento de 250%. Por que tanto?

De 2017 pra cá eu sempre faço alguma viagem nas férias. Já viajei ao Rio, SP, MG, Brasília, Fortaleza, Chile. Também fui em shows de bandas de rock lendárias que sempre quis ver, que obviamente têm um preço bem salgado.

Além disso, vi que nos gastos relacionados a churrascos, bebedeiras com os amigos, etc. meus custos aumentaram de pouco mais de 80 para mais de 200 reais por mês.

Viajar foi algo que eu sempre desejava fazer, só não viajava antes justamente por não ter condições financeiras. Aliás, quero a Independência Financeira para também ter a liberdade de viajar mais e para lugares mais distantes.

Sobre as bandas de rock, não há dinheiro que pague a felicidade que senti indo aos  shows. Portanto, são despesas que considero trazerem um bom retorno de satisfação pessoal para mim.

Por outro lado, os churrascos e bebedeiras, além de prejudicarem minha saúde (isso explica a razão de eu ter engordado nesse período), estão corroendo boa parte de meu patrimônio (quase 2.500 reais por ano).

Logicamente não devo drasticamente cortar tudo, mas certamente vou pisar no freio e tentar diminuir esses gastos pelo menos pela metade.

E a última categoria em que  minhas despesas aumentaram substancialmente foi a de transporte (de 230 para 750 por mês).

Essa eu já tinha certeza que aumentaria, pois em 2015 eu tinha apenas uma moto e a partir de 2016 passei a ter também um carro.

Além disso, com minhas viagens passei a gastar também com Uber, Táxi, Metrô, etc. que apesar de serem gastos esporádicos, se somados têm um valor bastante relevante.

Infelizmente eu realmente dependo do carro, pois todos os meses preciso me locomover entre 4 cidades diferentes. Andando de carro eu tenho o conforto e a segurança que não tenho na moto (quase morri em um acidente de moto ano passado e após isso parei de andar com ela em rodovias) e tenho a liberdade de ir e vir na hora que eu bem quiser, o que não ocorreria se eu optasse por viajar de ônibus intermunicipal, pois dependeria dos horários deles.

Então, das três categorias que alavancaram minhas despesas, a de transporte é a que, pelo menos no momento, eu não vejo solução alguma para reduzi-la.

Então é isso pessoal, após analisar para onde está indo meu dinheiro, estou conseguindo gastar abaixo da média histórica neste mês de outubro. E o melhor, sem nenhum sacrifício. Apenas deixando de gastar com coisas que realmente não eram necessárias.

Espero que esse post sirva também para algum de vocês que estejam passando por situação semelhante.


Até mais.




.

quinta-feira, 3 de outubro de 2019

Fechamento Setembro/2019

Chegou a hora de mais um fechamento mensal.

Em setembro aportei parte do meu salário na renda fixa, pois apesar de eu já investir há quase 2 anos, ainda não tenho uma reserva de emergência tão segura assim (já tive, mas com algumas quedas na bolsa, fui trocando por ações). Já o rendimento dos FII, eu reinvesti tudo.

Aporte do mês: R$ 3.414,09
Rendimento do mês: + 1,81%




Minhas ações, que já corresponderam a mais de 70% da minha carteira, agora está em 64,3%.

Em relação aos dividendos, setembro não foi tão bom assim, se comparado ao que eu venho recebendo em 2019.

Ranqueando esses 9 meses que se passaram em 2019, os proventos de setembro estão em 7º lugar. Por outro lado, se ranquear os 12 meses de 2018, o valor de setembro/2019 ficaria em 5º. 
Isso mostra como os proventos vão ganhando poder no decorrer do tempo. 
Que continue assim.


Proventos do mês

Ações: R$ 24,13
FII: R$ 222,96
Total de Setembro/2019: R$ 247,09

Janeiro a Setembro/2018: R$ 1.760,63
Janeiro a Setembro/2019:R$ 4.729,96 (+168,7%)
Total de 2018: R$ 3.118,25



Então é isso. Até o próximo fechamento.